21/04/2016
Amor e devoção! A visita de Selassie à Jamaica!
 

Pág 1: Anterior |
19/03/2017 - O dia em que Bob Marley bateu bola no campo de Chico Buarque!
08/03/2017 - Mulheres no Reggae!
22/11/2016 - Parte 1: Para afugentar o Diabo!
21/11/2016 - Parte 2: Para afugentar o Diabo!
20/11/2016 - Dia da Consciência Negra: O Herói Zumbi!
11/10/2016 - O impacto da cultura SoundSystem!
05/12/2015 - Nelson Mandela: A convicta luta que contagiou o reggae mundial!
21/09/2015 - Haile Selassie no Brasil!
11/05/2015 - Os últimos dias de Bob Marley!
19/01/2015 - A vida de Bob Marley - Os filhos do Rei!
15/11/2014 - A República mudou DE FATO nossas vidas?
27/08/2014 - O Tempo é o Mestre!
28/07/2014 - Chronixx, a nova locomotiva do reggae?
30/01/2014 - A Conexão Reggae / Punk!
17/10/2013 - Quem é Jah?
01/02/2013 - Queremos novidade! Uma análise do mercado reggae no Brasil!
19/06/2012 - A moda passa mas a essência fica!
03/06/2011 - Buju: Inocente ou culpado?
Pág 1: Anterior |


Haile Selassie visitou a Jamaica em 21 de Abril de 1966, e aproximadamente cem mil Rastafaris de toda a Jamaica esperavam a descida do avião imperial no aeroporto Norman Manley de Palisadoes em Kingston, aguardando aquele que consideravam ser seu messias.

Os spliffs e os chalices foram carburados sem cerimônia, causando um embaçamento da fumaça da ganja através do ar. O dia foi declarado um feriado pela honra do imperador. A multidão chegou com bastante antecedência, vinda de lugares próximos e distantes, das formas mais variadas possíveis, com carros, caminhões, ônibus, bicicletas, à pé, sendo que alguns já aguardavam sua majestade há semanas.

As batidas dos tambores nyabingui e os cantos hipnóticos foram ouvidos incessantemente. Alguns acenavam com folhas de palmeira, fotos de Selassie, faixas com dizeres endereçados a H.I.M., e muitas bandeiras etíopes verdes, amarelas e vermelhas, como boa vinda ao Imperador.


(Rasta acenando com folha de palmeira)


Todos mantiveram seus olhos fixos céu querendo saber quando o avião que trazia sua Majestade Imperial de Trinidad e Tobago chegaria. A chuva começou a cair, mas ninguém fez menção de retirada.

É CHEGADA A GRANDE HORA


Entre as espessas nuvens de chuva, começou a aparecer o avião de sua majestade. Pintado na fuselagem, o Leão de Judah rugindo e faixas verdes, amarelas e vermelhas. Neste momento um imenso clamor saiu da multidão. O avião parou e milhares de rastas, emergindo das barreiras policiais, correram em direção à aeronave.


Haile Selassie chegou finalmente no aeroporto, mas foi incapaz de descer porque além da multidão ter impedido a aproximação da escada móvel por tamanha euforia, sua majestade havia estranhado o forte odor de ganja. Pela porta do avião avistou milhares de rastas entoando cânticos de louvor ao seu nome, e muitos acendiam seus chalices com ganja.


(Foto clássica de U-roy com um chalice)


Faixas na multidão traziam dizeres como "Selassie is Christ" (Selassie é Cristo) e "King of Kings" (rei dos reis). Selassie se recusou a deixar o avião e lá permaneceu por pelo menos uma hora, até que a ordem fosse estabelecida. Finalmente, as autoridades jamaicanas foram obrigadas a pedir a Ras Mortimer Planno, um conhecido líder Rasta, a adentrar à aeronave e negociar a descida do Imperador.


(Assista à chegada do avião imperial)


O tradicional tapete vermelho - item sempre presente na recepção de grandes personalidades - havia sido destruído porque alguns rastas o consideraram "contaminado pelo colonialismo", já que a rainha da Inglaterra, Elizabeth, o havia pisado em sua visita oficial à Jamaica alguns anos antes. Ras Planno então saiu da aeronave e anunciou à multidão:

O Imperador instruiu-me a dizer para que fiquem calmos!".


(Ras Mortimer Planno)


Selassie finalmente deixou a aeronave com segurança pesada, e foi rapidamente conduzido ao carro oficial, que se dirigia a uma recepção arranjada pelo Sir Alexander Bustamante, com então 82 anos de idade e quase cego devido às cataratas. Logo depois visitou a universidade das Índias Ocidentais - onde lhe foi concedido honrarias - e visitou também o parlamento jamaicano.

Eruditos consideram este dia como ponto principal para o movimento, que é comemorado até hoje pelos Rastafaris como o dia da "Grounation", o segundo feriado mais santo atrás apenas de 2 de Novembro, o dia da coroação do Imperador.

Desde então, em conseqüência das ações de Ras Planno, as autoridades jamaicanas assegurariam que os representantes rastafaris fossem mais atuantes nas decisões do Estado, e que os rastas idosos (Rasta Elders) tivessem uma audiência confidencial com o Imperador.

Não rumem para a Etiópia sem antes libertar o povo jamaicano." - disse Selassie.

Estes dizeres ficaram conhecidos como a "Libertação antes da Repatriação".


"EU NÃO SOU JESUS!"


Haile Selassie nunca repreendeu os Rastafaris pela plena convicção de que ele era a "reencarnação de Jesus", título que ele negava com veemência. Em lugar disso, presenteou os rastas idosos com medalhões de ouro, sendo eles os únicos a receber tal honra nesta visita.


(Os medalhões de ouro de Selassie)


MICHAEL MANLEY VISITA A ETIÓPIA


Ex-primeiro ministro jamaicano e líder do PNP (Partido Nacional Popular), Michael Manley visitou a Etiópia em Outubro de 1969. Com perplexidade e emoção, o imperador Haile Selassie alegou que ainda se recordava de sua calorosa recepção na Jamaica três anos antes, e sentiu que deveria ser ainda mais respeitoso com o ministro por este motivo.

Nesta visita, Manley recebeu de presente do Imperador a vara da correção (Rod of Correction ou Rod of Joshua), fato que muitos acreditam ter ajudado o político a ganhar a eleição de 1972 na Jamaica.


(O ex-primeiro ministro Michael Manley)


Um intérprete traduziu o discurso do imperador Haile Selassie, feito em árabe, endereçado a ambas as casas do parlamento e a Gordon House. No trono com sua majestade imperial estava o governador geral Clifford Campbell, sua esposa e George Huggins, que explicou com entusiasmo como aquela visita de Selassie mexeu com o país e com ele próprio.

É complicado colocar em palavras o que foi ver este homem, este grande homem, senhor dos senhores, na Jamaica. Isso significou muito para a comunidade Rastafari. Nós tínhamos ouvido falar muito sobre ele durante tanto tempo. Em qualquer lugar que sua majestade esteve na Jamaica, foi recebido com festejos transbordantes de lealdade e de amor. Quando se tem amor à Jah, não se deve temer seu poder. Para os Rastas foi uma benção total.".

Um fato primordial e inédito foi a inclusão de eminentes personalidades Rastas nas cerimônias oficiais, embora nem todos tiveram este privilégio. Alguns rastas idosos, que consumiam ganja demasiadamente, foram impedidos de assistir às sessões, e chegaram a resmungar se Selassie era realmente Deus, pois se fosse, não precisaria de avião para viajar.

MARLEY É TOCADO PELA FÉ


Num discurso, Selassie negou sua natureza divina, porém os rastas pouco se importaram com a declaração. Para eles era impossível reescrever a profecia. Rita Marley, a esposa de Bob Marley, se converteu à fé Rastafari após ter visto Haile Selassie I em sua visita à Jamaica em 1966.

Nas entrevistas, e também em seu livro "No Woman, No Cry", ela revela que viu estigmas na palma da mão de Haile Selassie enquanto ele acenava à multidão, marca que se assemelhou às feridas nas mãos de Cristo ao ser pregado na cruz. Apesar da repúdia de algumas fontes, o fato foi usado como evidência para que ela e outros Rastafaris acreditassem que Haile Selassie I era certamente seu Messias.


(Pintura mostra ligação entre Bob e Selassie)


Embora não tenha presenciado a aclamada visita do Imperador, Bob Marley, que na época morava nos Estados Unidos, foi tocado sensivelmente pelo título divino dado a Selassie, e também pelas evidências presenciadas por Rita. Tais argumentos foram decisivos para a conversão de Bob Marley, que ainda não era internacionalmente conhecido.

BOB MARLEY, O MAIOR PROPAGADOR DO RASTAFARI


Após a explosão internacional da música e da figura de ídolo de Bob Marley, Selassie se tornou ainda mais conhecido em todo o mundo. O astro compôs canções como "Jah Live", "Selassie Is The Chapel", "Iron Lion Zion", "Forever Loving Jah" e tantas outras que se referem a Haile Selassie I com muito amor de devoção.


(Ouça a rara "Selassie is the Chapel")


Fonte: Rangel Surforeggae (tradução e adaptação)







'Selassie'


Haile Selassie no Brasil!


1. Especial Ras Cultura: Haile Selassie, a voz da África.


Show do pré-Lançamento do CD JAH I RAS - "SELASSIE I VIVE" é orgulho para o reggae nacional!


Site da Banda ZionRoots: Discurso de Sua Majestade Haile Selassie I às Nações Unidas!




 

TRENCHTOWN
(Feminina)
Dub Wars
Groundation
Live At Brixton Academy

Gregory Isaacs
(Reggae)


O que você espera da cena reggae atual?
Que bandas clássicas ressurjam
Que bandas novas apareçam mais.
A cena reggae está legal para mim.


Resultado parcial
Historico de Enquetes


   Morgan Heritage
   Chronixx
   DUB INC
   Jah Defender
   Alborosie


   Igor Salify
   Vibração Sol
   Andread Jó
   Be Livin
   Angatu



APOIO DESENVOLVIMENTO